sábado, 17 de maio de 2014

O meu poema preferido, escrevi na cidade do Porto, na véspera do meu aniversário,  data de 98-02-27. A preferência deve-se a um dos episódios mais tristes da minha vida como autora, o orelhas jumbo irrompeu pela casa fora com a arrogância que rima bem com ignorância, a faladrar que o amigo dele dani lhe tinha dito que o poema das gaivotas não tinha sido eu a escrever,  o poema é sublime não é?  Acertei-lhe em cheio nos estrogenios mal disfarçados de testosterona e fiz aquele gesto mal educado, que me soube tão bem, tive mesmo tempo para saborear o momento histórico,  reenviando para o destinatário, o tal amigo que por inveja estava a dar luta àquela que lhe tinha subtraído o amigo da sua companhia e tinha colocado, a sacana, um ponto final às noitadas de copos no Kiss, e já agora, terminei em grande, diz ao teu amigo que não sou eu que escrevo, mas o rato Mickey, que vive debaixo da minha cama! Embrulha em celofane e leva...Vamos ao que importa: Descem Gaivotas Sobre Os Telhados

Da minha janela
vejo as gaivotas
que descem sobre os telhados
olham a cidade
com majestade
e depois
voando
levam as casas
e os meus olhos
nas suas asas
são senhoras do seu bico
insinuando voos rápidos
umas vezes,
demorando nos peitoris
das casas, outras
para de novo
riscarem o céu
como bem lhes apetece
indiferentes
aos sinais de trânsito
que existem cá em baixo.

Digam da vossa justiça, comentem, subscrevam e partilhem informação sobre o meu blog, o talento ou talentos não são meus, antes foram emprestados, um dia lá terei de os devolver com juros, por isso e muito mais sem tornar este blog uma ode religiosa, suponho que já perceberam que a minha caminhada tem sido feita tendo Jesus Cristo como Anjo Da Guarda, alguém poderá desejar mais? Não sejamos gananciosos,  mas na minha vida com Jesus TUDO, sem Jesus naaaaada...

Sem comentários:

Enviar um comentário